Pages

Monday, November 29, 2010

Simple things

Por que deixamos de lado nossa criança interior? Nossa ingenuidade, inocência e alegria? Com o passar do tempo vamos crescendo, amadurecendo e perdendo todo este encanto que as crianças têm por natureza.

Os meninos ganharam um par de pantufas cada um. Ficaram tão felizes que não quiseram tirá-las dos pés. Na hora de dormir, colocaram-nas por algum tempo só pelo prazer de poder usá-las. Tiveram que tirá-las. Mas, BB, antes de pegar no sono, levantou da cama, calçou-as e voltou para a cama. Quando fui até o quarto deles mais tarde, lá estava ele com as pantufas nos pés. Durante a noite, algo aconteceu que o PP acordou e, quando fui até seu quarto, BB estava lá, de pé, com as pantufas nos pés...


Quando ele se levantou pela manhã, já estava com as pantufas...

Coisas de crianças... A alegria que não tem preço. Tamanha bobagem para um adulto, que deveria tirar uma lição para dar mais valor às pequenas coisas da vida. Para parar de se preocupar com tantas coisas, muitas vezes insignificantes e que transformamos em um grande copo d'água, e aproveitar esta alegria tão ingênua, tão pura.

Meus grandes amores, obrigada por esta pequena bobagem que se transformou em grande alegria...



Friday, November 26, 2010

Fé...

Cada um de nós tem sua crença, sua fé, sua esperança em algo ou em alguém. Não importa se temos uma religião a seguir, ou se seguimos nossos próprios conceitos ou filosofias. O que importa é o amor que sentimos por algo muito maior do que nós. Não só nos momentos que estamos fraquejando perante os obstáculos, mas nas alegrias diárias, nas emoções, na energia vital.

Acredito em Deus. Acima de tudo. Também acredito que não  precisamos estar fisicamente em um recinto sagrado para nos conectar ao Amor Divino. Ele está sempre dentro de nós, pulsando, vivendo, crescendo com total intensidade.

Tive a oportunidade, há alguns anos, de fazer uma viagem para alguns lugares importantes para o catolicismo pela Europa. Sempre adorei a imagem de Nossa Senhora de Fátima. Fiz minha primeira comunhão em uma igreja em São Paulo dedicada a ela. Acho que, a partir disso, minha adoração à Nossa Senhora de Fátima cada vez aumentou. Estive em Fátima, Portugal, e tive o prazer de participar da procissão à tarde, e depois, da procissão das velas à noite. A emoção de estar naquele lugar repleto de pessoas com a mesma fé Nela é indescritível. Parece que, quando a imagem Dela passa por nós podemos sentir realmente Sua luz, calma, paz, acolhimento. Seu amor.


Friday, November 19, 2010

Momento especial...

Este mês de novembro tem um significado diferente para mim nestes últimos três anos. Foi um momento em que tive que lidar com uma situação que mudaria completamente minha vida.

Quem conhece minha família sabe que passamos dez anos em uma luta diária com meu pai, desde que soubemos de seu mieloma múltiplo. Foram tratamentos e mais tratamentos, transplantes, apoios, paciência. Dedicação e amor por ele. Em todos os momentos. Ele nunca, realmente nunca se deixou abalar pela doença. Trabalhava diariamente e incessantemente, só parando mesmo quando estava extremamente ruim fisicamente.

Uma doença muda a nossa vida. Ou paramos para pensar e analisar o que está errado e procuramos melhorar estes aspectos, ou simplesmente nos deixamos levar e acabamos com tudo que construímos para nós mesmos. Ele mudou. E muito. Se tornou mais alegre, brincalhão, fazia piadas (até mais do que era antes da doença). Aprendeu a ter mais paciência, a não esperar tanto da vida. Parece que vivia um dia de cada vez.

Foi então que a doença realmente atacou, por assim dizer. No ano de 2007 ele lutou com todas as suas forças para vencer, mas ele sabia que não tinha mais jeito. É uma doença que não tem cura. Foi internado nesta mesma época do mês de novembro, ficando em estado de coma induzido por três semanas.

Ele não tinha como se comunicar fisicamente, mas conversávamos muito através do Reiki. Conseguia vê-lo me dizendo no começo que não conseguia ver nenhum tipo de luz, mas que tinha a presença dos meus avós maternos ali. Ele estava sendo preparado de alguma forma para sua partida.

Até que, na última semana ele me disse que estava pronto para partir. Que sentiria muita falta de nós, e que já tinha conhecido meus filhos. É isso mesmo. Eu estava no oitavo mês de gestação de gêmeos.

Ele partiu no início de dezembro. Meus filhos nasceram exatamente um mês depois. Tenho certeza que houve este encontro entre eles.

Aprendi que na vida existe os ganhos e as perdas. Parece que precisamos perder algo para ganhar alguma outra coisa na vida. Perdi meu pai fisicamente, ganhei minhas preciosidades.

Sei que ele está bem agora. Mas é inevitável não sentir sua falta. Dos almoços, da hora do café no escritório, de como ele nos chamava para almoçar, de como brincava com os cachorros, de como ria e fazia palhaçadas.

Meu querido pai, onde quer que você esteja, te amaremos eternamente. Obrigada pela sua vida presente na nossa.

Wednesday, November 17, 2010

Os frutos chegaram na primavera...

Lembram-se da postagem em que coloquei algumas fotos das minhas árvores repletas de flores? Bom, agora os frutos já estão aí.

As duas mangueiras estão carregadas de frutas. Coitadas, os galhos não suportam o peso, estão até caindo no chão...

O pessegueiro é um caso à parte. Estavam cheios de flores. Um espetáculo de beleza da natureza. Nunca esteve assim. Tinha tanta fruta, mas tanta fruta, que tivemos que pegá-las antes de estarem completamente maduras. É, tudo por causa dos visitantes voadores que adoram se empanturrar com nossas frutas do quintal. Meu marido até fica ali, só de olho, para ver quem vence a batalha, ou ele ou os pássaros. Até improvisamos um espantalho. Mas não tem jeito. Tivemos que colher as frutas, e não tive tempo de fotografar a árvore. Uma pena...

Agora, as duas jabuticabeiras não páram de frutificar. Além da fruta ser extremamente doce. Os meninos saem em disparada pelo quintal pegando jabuticabas e pitangas...




Saturday, November 6, 2010

"The sound of music"

Todos nós temos um filme ou uma música favorita. Algo que tenha marcado nossa vida em algum momento. Já assisti a muitos filmes, já escutei muitas músicas, mas continuo tendo o meu filme favorito desde que eu tinha 7 ou 8 anos. "The sound of music".  Foi  o primeiro filme que assisti em fita cassete, logo que meu pai comprou o aparelho. Já devo ter assistido este filme mais de vinte vezes. Já sei todas as partes, músicas, diálogos. Mas, cada vez que assisto, é como se fosse a primeira vez. Me emociono, rio, choro, me empolgo.

No final de outubro de 2010, Oprah Winfrey reuniu os atores do filme, depois de 45 anos do lançamento. Agora em novembro será lançada uma edição de luxo comemorativa do filme.  É emocionante ver aqueles rostos, principalmente das crianças que se tornaram adultos com uma grande lembrança daquele momento, que, certamente, mudou a vida de todos eles.

Certamente este será sempre meu filme favorito, e "Edelweiss" será sempre minha música favorita...