Pages

Tuesday, June 21, 2011

Chegada do inverno

Enquanto no hemisfério norte as pessoas estão contentes com a chegada do verão, temperaturas quentes, e todas aquelas maravilhas da estação, estamos aqui, no hemisfério sul cobertos com mantas, blusas, casacos, toucas. E eu, particularmente, tentando fazer um pouco de crochê e tricô, de acordo com meus projetos artesanais, digamos assim.

Mas, mesmo com o frio, estou sim celebrando a chegada do inverno. E estas fotos são uma forma de comemorar este início de temporada.


 

Sunday, June 12, 2011

My forever Valentine

Doze anos se passaram desde que conheci meu grande companheiro. Estamos juntos este tempo todo, passando por diversas situações, boas e ruins. DIficuldades, opiniões diferentes, conhecimento, aprendizado. Companheirismo. Amizade. Troca.

Sei que, neste tempo todo, fui julgada por vários motivos. A diferença de idade que nós temos, talvez até a diferença de culturas e de países. Mas, ninguém consegue ver que nós nos escolhemos pelo sentimento. A sociedade aponta o dedo, fala mal, rejeita. Mas, esta mesma sociedade não vê que existem sentimentos verdadeiros, que existe amor.

Eu devo a ele todo o aprendizado e o conhecimento que eu adquiri nestes anos todos. Tenho personalidade forte, muitas vezes não admito certas coisas, mas sei que aprendo com ele a cada dia.

Tenho muitas recordações deste tempo todo. Lutamos muito para estarmos juntos, para termos nossa vida, e também nossos filhos. Eu faria tudo, mas tudo mesmo de novo. Quantas vezes fossem necessárias.

Quando eu olho para a minha vida e meu passado, vejo que tinha que acontecer assim. O passado já foi, está lá trás, não tem volta. O que eu vivi e vivo com ele, o que eu tenho aprendido com ele, só fez com que eu amadurecesse e aprendesse muito.

Eu vejo que eu tenho progredido em todos os sentidos, simplesmente pelo aprendizado contínuo. Eu não só aprendi um outro idioma com ele, mas posso dividir com ele o conhecimento de outros lugares, culturas, costumes.

Amo este homem com todo o sentimento que tenho. É um amor profundo, sincero, verdadeiro, incondicional. Eu o amo muito, muito, muito.


Meu amor, muito obrigada por tudo que sou e que tenho. Te amo imensamente. Te amarei para sempre.


Thursday, June 2, 2011

43 minutos... E só um reconhecimento

Isto aconteceu há quatro anos em Washington, EUA. Um violinista famoso, Joshua Bell, tocou no metrô por pouco mais de quarenta minutos. No vídeo, só aparece uma pessoa que o reconheceu. Foi uma reportagem especial do Washington Post.

Ele tocou seis peças clássicas, 1097 pessoas passaram por ele em 43 minutos. Só uma pessoa, uma única pessoa parou para ouvir. Além disso, ela o reconheceu.

Pessoas passavam por ele, nem viravam a cabeça para ver a pessoa que estava ali, tocando violino. Algumas delas jogavam $0.25 na caixa do violino.

Isto quer dizer que, com a vida tão corrida, será que não poderemos ter um pouco de prazer? Não só o prazer, mas o respeito e consideração pelas outras pessoas? Tinha uma pessoa ali, gastando seu tempo, tocando violino. Não músicas populares, mas clássicas. Não importa que tipo de música é, mas simplesmente o fato de estarmos ali naquele momento e pensar o por quê a outra pessoa está ali, naquela situação.

Pensamos sempre que ali tem um oportunista. Ou alguém tentando levar vantagem em ganhar dinheiro fácil. Bom, aqui no Brasil, infelizmente, acabamos generalizando, porque sabemos os tipos de pessoas que fazem estas coisas. Muitas pessoas têm uma saúde ótima, mas está ali só para tirar proveito da situação. Sabemos que, aqui neste país, muita gente não quer ter muito trabalho, levantar cedo, tentar achar um trabalho. É muito mais fácil pedir para que o outro ajude.

Mas, neste caso, era um jovem músico e com talento. Mesmo assim, as pessoas generalizaram o fato. Além disso, as pessoas, em geral, são egoístas. Não existe tempo para ninguém ou qualquer outra coisa ao redor.

Acho que devemos pensar um pouco mais sobre este tipo de atitude. Abrirmos mais os ouvidos e os olhos, tentar ouvir e ver melhor o que está a nossa volta. A vida nos dá também um coração, para colocarmos emoções e sentimentos positivos. Quem sabe assim poderemos começar a melhorar o mundo em que vivemos?